quinta-feira, 22 de abril de 2010

Conversa minha e dele

Conversamos sobre a vida. Essa que vivemos. Passageiros da agonia de ser. Felicidade do existir e da insistência de ficar por aqui. Mundo louco, mundo profano, mundo sagrado, mundo lindo. Das árvores os galhos e seus encantos em brotos. O sol que magicamente nasce outra vez. A chuva que molha e distribui vidas. O entardecer que nos arrebata um poema de puro amor. Noite encharcada de estrelas. Noite sem lua. Breu do encantamento. Todas as mãos, todos os braços, todas as bocas, todos os sexos em gemidos. Sinfonia mundial do amor nessa única noite de pouca luz. Todos belos, todos esperançosos, todos com a dor de ser. Dia acalento, labuta que arde na cabeça e nos braços. A da sobrevivência. Diferenças estabelecidas. As crianças distantes da infância. Aquela infância perdida. As armas, os gritos, os olhos cheios de ódio. A vontade de se embrionar no útero materno. Ir ao céu, sair do inferno, viver a vida, viver...

RUSSO,T.C.F.

Nenhum comentário:

Postar um comentário